Você está em Home >> Comportamento >> Mãe desnecessária

Siga:                         Já fez o seu cadastro? Entre aqui.

Mãe desnecessária

"A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo".

Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista esta frase e ela sempre me soou estranha. Até agora. 



Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha interna hercúlea, confesso.



Quando começo a esmorecer na luta para controlar a supermãe que todas temos dentro de nós, lembro da frase, hoje absolutamente clara. Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.



Antes que alguma mãe apressada venha me acusar de desamor, preciso explicar o que significa isto.

Ser desnecessária é não deixar que o amor “incondicional” de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também.



A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda e um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho. Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não para de se transformar ao longo da vida. Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeçam o ciclo. 



O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância e na divergência, no sucesso ou no fracasso, com peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis. 

Pai e mãe - solidários - criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão.

Ao aprendermos a ser desnecessários, nos transformamos em porto seguro para quando eles decidem atracar." (D. A) 

Pegando esse gancho, digo sempre às minhas pacientes “Mamães Angustiadas pela Autonomia dos Filhotes” que quando esquecemos de parar de sermos mães, nossos filhos se afastam de nós...eles precisam pensar com suas cabeças, cometer seus próprios erros e acertos!



Convenhamos, é muito chato uma mãe eterna no nosso pé...precisamos reconhecer, aliás com muito orgulho que eles, os nossos filhos crescem, se tornam autônomos, e muito melhores que nós, Graças a Deus!

 Como diz o texto, é sinal de que fizemos um bom trabalho, quando percebemos que estamos sendo dispensadas e desnecessárias.

É hora de descansar e curtir a turma de preferência à distância...

Lembre-se, muito melhor ser SOLICITADA que “OFERECIDA!!!”



Certa vez uma senhora pediu-me ajuda como terapeuta, pois não sabia o que fazer com um sobrinho, filho único, cuja mãe veio a desencarnar há pouco tempo. Um jovem de 18 anos, totalmente dependente, não queria estudar, colaborar, nem trabalhar... sua mãe o educara assim, com tudo à mão e à boca...nunca soubera antes o que seria fazer algo útil e construir seu futuro.

 O jovem sobrinho estava desarmonizando toda a sua família de três filhos que por serem todos independentes, estudiosos, trabalhadores e responsáveis, não aceitavam o primo ocioso em sua casa.



Ao ouvir o relato de minha paciente, deparei-me em como eu sou feliz, pois tenho três filhos totalmente independentes, bem formados moralmente e intelectualmente... 

e fui fundo: se eu morrer agora não deixarei nenhum filho desamparado ou sob a responsabilidade de algum parente...meu Deus como sou feliz! A única falta que sentirão de mim será afetiva, emocional!

Senti então uma profunda gratidão à vida, a Deus e um tremendo orgulho da mãe que eu fui um dia, QUANDO ELES NECESSITAVAM DE UMA, pois hoje sou apenas uma Grande Amiga!

Ah! Continuo a distância! Quando sou solicitada sou a primeira a chegar! Caso contrário fico na minha, assisto à distância o desenrolar de suas vidas com muitos acertos, com inúmeros erros mas que eles “tiram de letra”, com muito mais competência que eu faria, se estivesse em seus lugares. 

E dou Graças a Deus!!!



 

Por: EUCKARIS GUIMARÃES MENDES


 

| Enviar para um amigo | Imprimir | Comentar

 

Comentários

Karina Memoli

Mas como é difícil tornar-se uma mãe desnecessária!!! Vou lutar bastante para ser desnecessária o suficiente para o meu filho Theo ser feliz e independente...Dr. Marcelo e Dra. Camila, parabéns pelo site. É maravilhoso!! Vcs serão sempre inesquecíveis para nós.

Karina, é difícil mas a gente consegue e eles agradecem. Obrigada e contunue com a gente. Abs

eliana niemeyer

muito bom o texto, adoreiiiii

Obrigado por nos acompanhar Eliana. Abs

Pediatria em foco

Atualidades | Comportamento | Doenças comuns | Higiene | MÍDIA | Nutrição | Puericultura | Saúde | Segurança | Vacinas | Curva do crescimento
DICAS | PERGUNTAS FREQUENTES | Cadastre-se

Pediatria em Foco © 2012. Todos os direitos reservados.

 

Clinica Infantil Reibscheid

Clínica Reibscheid | Links | Localização | Fale Conosco

Clínica Infantil Reibscheid © 2012. Todos os direitos reservados.

Telofone:  11 3801-2676

Horário de funcionamento / atendimento: Segunda a sexta, das 10h às 19h

 

Desenvolvido por: Floot Digital